domingo, 20 de novembro de 2011

Caricatura

Miro 19 11 2011

Tua tez vai fugindo em pausas de mudanças,
como pequenas doses de venenos em licores,
que jazem no fundo seco da taça transparente,
enquanto a lágrima copia o nó da esperança!

No evaporado pó dos teus bipolares humores
cavo um buraco no furo de teu ventre ausente.
Tua imagem é uma caricatura de nossa aliança
e na memória cria canteiros férteis e sem flores!


Como atingir a musa que não tem mais tranças,
e que se esconde nua entre cortinas incolores, 
criando no ar fantasia de teor intransigente?

Só com imprecisos laços gastos da lembrança,
onde teu perfil chama a sombra dos suores:
feito um espectro de projeção intermitente!

2 comentários:

Patrícia disse...

Fazia tempo que não aparecia aqui para me deliciar com suas palavras! Bjsss

miKroPOESIAS disse...

minhas palavras ficam muito melhores e mais loucas escapando com suavidade de alguma rara boca...