sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Reflexo Lunar



Miro 11.02.2004


Reflexo lunar
Tornando evidente
O sexo das sombras
No crespo primário
Das ondas do mar


Inversos sentidos
Eclipse estranho
Pés nas cabeças
Bocas distantes
Em cochos lambidos


Fios de lama
Na língua veloz
Lábios firmes
Um gozo egoísta
Fluindo na cama


Vórtices famintos
Dilatam a carne
Corte na entranha
A concha se abre
À espada de pedra


Raios cruéis
Rápidos indecentes
Queimam as coxas
Afogam os fogos
E estouram anéis


Chave de pés
Buraco negro
Pêndulo no ventre
Sodoma vazão
De loucas marés


Chove paixão
Molhada agonia
Tremores na terra
E um corpo amolece
Largado no chão

Um comentário:

Única e Exclusiva disse...

Amo a lua e tudo q ela representa, a boemia de outrora.

besitos =***
Me add no msn.